terça-feira, 30 de novembro de 2010

Copa América 2011: Conheça Os Grupos

No dia 11 desse mês de novembro foi realizado o sorteio dos grupos para a competição que terá início em 1º de julho de 2011, com o jogo entre a anfitriã Argentina e a Bolívia, em La Plata.

Nessa 43ª edição da Copa América há dois países convidados: o Japão e o México. Ao campeão da competição será dada uma vaga na Copa das Confederações de 2013, a ser realizada no Brasil (este já com vaga garantida por sediar o torneio). Caso Japão, México ou Brasil faturem o caneco na Copa América 2011, classifica-se a próxima seleção sul-americana melhor colocada. Mas, cá entre nós, está muito mais em jogo o título da Copa América do que qualquer vaga que seja.

Vamos então aos 3 grupos, cabendo frisar que se classificarão para as quartas-de-final os 2 primeiros de cada chave e também os 2 melhores terceiros colocados (em outras palavras, apenas o pior terceiro colocado e os lanternas de cada grupo estarão eliminados na primeira fase).

Grupo A: Argentina, Bolívia, Colômbia e Japão;
Grupo B: Brasil, Equador, Paraguai e Venezuela;
Grupo C: Chile, México, Peru e Uruguai.
Imagem com a relação dos grupos para a Copa América 2011: todas as chaves contam com pelo menos duas seleções entre as 16 melhores colocadas na Copa do Mundo 2010.

Eis o emparelhamento para as fases seguintes.

Quartas-de-final

Jogo 1: 1º do Grupo A com o melhor 3º colocado;
Jogo 2: 2º do Grupo A com o 2º do Grupo C;
Jogo 3: 1º do Grupo B com o 2º melhor 3º colodado;
Jogo 4: 1º do Grupo C com o 2º do Grupo B.

Semifinais

Jogo 5: vencedor do Jogo 1 com o vencedor do Jogo 2;
Jogo 6: vencedor do Jogo 3 com o vencedor do Jogo 4.

Disputa de 3º lugar: perdedor do Jogo 5 com o perdedor do Jogo 6.

Final: vencedor do Jogo 5 com o vencedor do Jogo 6.

Há muito a ser percorrido até 24 de julho de 2011, data da grande final, a ser disputada na capital Buenos Aires. Mas e aí, algum palpite?

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Equipe E Jogada Da Semana

Para os torcedores do Olympique de Marselha, essa semana que passou foi uma das melhores do clube nos últimos anos. Tudo começou com uma goleada por 3a0 sobre o Spartak Moscou, em pleno estádio Luzhniki. Com o resultado, a equipe francesa conseguiu a classificação antecipada para as oitavas-de-final da Liga dos Campeões da Europa, fase que o Olympique não disputava desde a temporada 1999-2000. De volta ao território francês, um público de 51.237 pessoas testemunhou nova goleada da equipe, agora dentro de casa: 4a0 pra cima do Montpellier (equipe que iria à ponta da tabela com um empate). Com o resultado, o Olympique assume a liderança no Campeonato Francês, com 25 pontos ganhos nos 14 jogos disputados.

Na próxima quarta-feira, dia 1º de dezembro de 2010, novo confronto direto pela liderança na competição: o estádio Velódrome ficará pequeno para receber a partida entre o Olympique e o Stade Rennes, atual 5º colocado e com 23 pontos conquistados. Aliás, o equilíbrio na Ligue 1 é admirável: a distância do líder Olympique de Marselha para o Brest, atual 8º colocado, é de 3 pontos. Por sinal, pude perceber que o Olympique de Marselha tem adeptos brasileiros bastante atentos aos acontecimentos do clube: minutos após o triunfo de terça-feira sobre o Spartak, encontrei duas pessoas - um adulto e uma criança - desfilando pelas ruas do Rio de Janeiro com a camisa azul-e-branca. Coincidência? Acho que não!

Jogada da semana

Procurei um vídeo que tratasse especificamente do segundo gol da partida entre Spartak de Moscou e Olympique de Marselha, quando o atacante Loïc Rémy marcava 2a0 para os visitantes. Não encontrei. Eis que resolvo carregar um vídeo com os "melhores momentos" da partida. E não é que ficou melhor ainda do que o plano original? Agora você pode saborear não apenas o "inusitado" gol de Rémy, como também o golaço de Mathieu Valbuena ao abrir o placar na capital russa. De toda forma, quem quiser o atalho para a jogada da semana, pode carregar o vídeo a partir de 1 minuto e 38 segundos, momento em que é iniciada a jogada. Mas recomendo o vídeo como um todo, que conta também com um choque pavoroso entre o atacante Welliton e o goleiro Steve Mandanda (felizmente, "apenas" um susto). Na seqüência, o brasileiro se descontrolou e acabou expulso após agredir o senegalês Souleymane Diawara.

domingo, 28 de novembro de 2010

Nada Como Um Grêmio Após O Outro

Os recentes acontecimentos de violência no Rio de Janeiro amedrontaram muitos torcedores e, mesmo com o time da casa na disputa por vaga na Copa Libertadores da América 2011, o público presente foi de menos de 7.000 torcedores na tarde de domingo no estádio Olímpico João Havelange. Dentro das quatro linhas, o Botafogo jogou o mínimo necessário para conquistar o resultado positivo diante do lanterna e já rebaixado Grêmio Prudente, vencendo a partida por 3a1. E recebeu uma grande notícia: com o tropeço do Atlético Paranaense no estádio Castelão (1a1 com o Ceará), o Alvinegro depende apenas de si para entrar no G4 na última rodada. Mas a tarefa é espinhosa: vencer o Grêmio no estádio Olímpico.

O jogo

As limitações técnicas do adversário - denunciadas pela posição ocupada na tabela de classificação - aliada à flagrante falta de empenho na partida - justificadas pela ausência de possibilidade de traçar um novo destino - facilitaram o caminho a ser percorrido pelo Botafogo. Com 10 minutos de partida, a equipe já somava duas chances: a primeira aconteceu aos 6', quando o estreante Lucas Zen (jogador vindo das categorias de base do clube) deixou "Loco" Abreu cara-a-cara com Sidney, mas o o uruguaio não conseguiu superar o goleiro. A segunda foi em chute de Edno de fora da área, novamente defendido por Sidney.

Com campo para jogar e quase sem ser ameaçado, o Botafogo avançava quase que naturalmente, mas ainda em ritmo lento. Uma grande chance pintou aos 27 minutos em cobrança de falta, quando a bola chutada por Lúcio Flávio balançou a rede prudentina, mas pelo lado externo, iludindo o público presente no Setor Leste do estádio. A ilusão do gol tornou-se realidade 3 minutos depois. Tudo começou em jogada de contra-ataque, quando Lúcio Flávio e Caio trocaram passes em velocidade e o camisa 10 recebeu bem posicionado na grande área, parando em nova intervenção de Sidney, que mandou para escanteio. Coube ao próprio Lúcio Flávio a cobrança e Antônio Carlos, que conseguiu subir mais que dois adversários, cabeceou para marcar seu 7º gol na competição.
Momento em que o zagueiro Antônio Carlos sobe para cabecear e abrir o placar no estádio Olímpico João Havelange.

A desvantagem no placar pareceu incentivar o Grêmio Prudente a ir mais vezes ao ataque. Dessa forma, coube ao Botafogo encontrar os espaços disponíveis. Aos 44 minutos, não havia lá muito espaço disponível, mas o fato é que Edno arriscou um chute de fora da área e teve sucesso no lance, mandando no quadrante 10 e ampliando a vantagem.

Na segunda etapa, o Botafogo visivelmente ficou menos arisco na partida. Caio era a figura que mais buscava jogo, mas não contava com grande contribuição dos companheiros e raramente levava vantagem nas jogadas individuais.

Se o jogo estava chato, aos 23 minutos passou a ficar perigoso para o Alvinegro: William recebeu bola ajeitada nas proximidades da meia-lua e chutou de primeira, colocando a redonda no canto esquerdo de Jéfferson, diminuindo para 2a1.

4 minutos depois, Joel Santana viu-se forçado a fazer a primeira substituição, pois Abreu pediu para sair. Em seu lugar entrou o atacante Alexssander, também (des)conhecido como Alex, para participar de sua segunda partida na Série A 2010.

As posteriores entradas de Renato Cajá (saiu Lúcio Flávio) e Túlio Souza (Edno deixou o campo) aumentaram o controle do Botafogo sobre o setor de meio-campo e a partida parecia seguir ao apito final sem novas alterações no placar. Mas Alexssander tratou de mostrar serviço aos 44 minutos: o jovem atacante de 20 anos recebeu a bola, partiu com ela dominada, invadiu a área e foi derrubado. André Luiz Castro não pestanejou em apontar a penalidade, que veio a ser convertida por Marcelo Cordeiro, agora sim dando números finais à partida.

Felizmente, nenhum incidente foi registrado no retorno dos torcedores aos seus respectivos destinos pós-jogo. Que seja o prenúncio do estabelecimento da paz no Rio de Janeiro.

Outros resultados

Corinthians (2º) 2a0 Vasco (12º)
Palmeiras (10º) 1a2 Fluminense (1º)
Flamengo (15º) 1a2 Cruzeiro (3º)
Guarani (18º) 0a3 Grêmio (4º)
Atlético/MG (13º) 3a1 Goiás (19º)
Internacional (8º) 1a1 Vitória (17º)
Atlético/GO (16º) 1a1 São Paulo (9º)
Ceará (11º) 1a1 Atlético Paranaense (6º)
Avaí (14º) 3a2 Santos (7º)

A última rodada será disputada com um jogo na quinta-feira (entre Grêmio Prudente e Internacional) e outras nove partidas no domingo. Nela, estarão em jogo a disputa pelo título (entre Fluminense, que só depende de si, Corinthians e Cruzeiro), a disputa pela hipotética quarta vaga na Libertadores (Grêmio e Botafogo fazem confronto direto no estádio Olímpico, onde o empate beneficia os gremistas) e fuga do descenso (Vitória e Atlético Goianiense fazem confronto direto no estádio Barradão, onde o empate beneficia o Atlético). Há também a disputa por vagas na Copa Sul-Americana, onde Flamengo e essas duas equipes que duelam em Salvador ainda têm chances de ingressar. Alguém ainda acha que falta emoção na disputa em pontos corridos?

sábado, 27 de novembro de 2010

Concluída A Série B 2010

Acabou-se o que era doce. Entre ontem e hoje foram disputadas as últimas dez partidas válidas pela Série B brasileira 2010. Acertei apenas 3 pitacos na prévia da rodada, que teve alguns resultados surpreendentes e um fato inusitado envolvendo a equipe do Bahia: quatro jogadores considerados titulares (Ávine, Diego Corrêa, Mendes e Rodrigo Grahl) teriam tomado tranqüilizantes e, para não serem flagrados no exame antidopagem, comunicaram ao clube durante o aquecimento para a partida. Márcio Araújo, treinador da equipe, ficou revoltado, dizendo que em 33 anos de futebol jamais havia vivido uma situação dessa, chamando os jogadores envolvidos de "irresponsáveis". No final das contas, os quatro atletas não foram relacionados e o Bahia contou com apenas três jogadores no banco de reservas.

Eis os resultados da 38ª rodada e a situação final da Série B 2010.

Santo André (18º) 1a0 Náutico (13º)
Duque de Caxias (11º) 1a1 ASA (9º)
Ponte Preta (14º) 0a0 América/MG (4º)
Vila Nova (16º) 2a1 São Caetano (10º)
Figueirense (2º) 4a2 Paraná (7º)
Bragantino (8º) 2a0 Bahia (3º)
Sport (6º) 1a2 Portuguesa (5º)
Coritiba (1º) 2a3 Guaratinguetá (15º)
Ipatinga (19º) 2a2 Icasa (12º)
América/RN (20º) 1a2 Brasiliense (17º)

Disputarão a Série B 2011: Portuguesa, Sport, Paraná, Bragantino, ASA, São Caetano, Duque de Caxias, Icasa, Náutico, Ponte Preta, Guaratinguetá, Vila Nova, além de quatro equipes rebaixadas da Série A (já definidos Grêmio Prudente e Goiás) e outras quatro equipes promovidas da Série C (ABC, Ituiutaba, Salgueiro e Criciúma).

Parabéns ao Coritiba, ao Figueirense, ao Bahia e ao América Mineiro pelo acesso à Série A 2011. Brasiliense, Santo André, Ipatinga e América de Natal tentarão retornar ao torneio em 2012.

Com Allegri Fica Difícil Ser Feliz

Apresentando um futebol altamente competitivo e com marcação firme, o Milan mais parecia estar jogando no San Siro do que no Luigi Ferraris. Mesmo assim, não foi suficiente para vencer a Sampdoria: com o empate por 1a1 (Robinho e Pazzini marcaram os gols do jogo), o "Rossonero" mantém a liderança (podendo terminar a rodada apenas um ponto a frente da Lazio, que joga amanhã) e a Sampdoria fica no meio da tabela (atualmente em 8º lugar, mas podendo perder algumas colocações com o complemento da rodada).

O jogo

O Milan começou a partida já encaixando a marcação e impedindo que a Sampdoria, diante de sua torcida, se desse o direito de gostar do jogo. Algumas chances eram criadas pela equipe visitante, mas o goleiro Gianluca Curci mostrava serviço muito bem, como em grande defesa após chute de Robinho, que tinha o endereço do quadrante 10. Mas, aos 42 minutos, viria o gol: Ignazio Abate iniciou a jogada acionando Robinho, o brasileiro tabelou com o sueco Zlatan Ibrahimovic, recebeu de volta e chegou chutando para superar Curci. Na comemoração, foi diretamente abraçar o companheiro Ronaldinho Gaúcho, relacionado mas não escalado entre os titulares.

Veio a segunda etapa e, sem nada a perder, a Sampdoria passou a freqüentar um pouco mais o campo de ataque. Numa dessas investidas, pintou um escanteio: aos 13 minutos, veio o levantamento na área, a bola foi escorada perto da marca do pênalti e chegou até Giampaolo Pazzini, que completou com total liberdade para estufar a rede e levar a torcida à loucura.

Entre os 20 e os 22 minutos, Domenico Di Carlo efetuou duas trocas na equipe. Primeiro, mexeu no meio-campo, trocando o húngaro Vladimir Kuman (que saiu irritado) por Stefano Guberti. Depois, no ataque: saiu Guido Marilungo e entrou Nicola Pozzi. Já na sua primeira participação, Pozzi quase virou o jogo com um cabeceio, mas Christian Abbiati conseguiu realizar difícil defesa.

O jogo ficou equilibrado, com muitas disputas de bola concentradas no setor de meio-campo. Massimiliano Allegri dispunha de ninguém menos que Ronaldinho Gaúcho para colocar novo gás na equipe e aumentar o poder de criação, mas simplesmente não abria mão de figuras como Gennaro Ivan Gattuso, Massimo Ambrosini e o ganês Kevin-Prince Boateng. Aos 40 minutos, Di Carlo mexeu pela última vez, trocando Daniele Mannini por Pietro Accardi. E nada de Allegri buscar alternativas a um Milan que parecia depender da dupla Clarence Seedorf e Robinho para criar algo de diferente.

Aos 44 minutos, acredite se quiser, o treinador milanês mexeu pela primeira vez tirando de campo Seedorf. Entrou Ronaldinho? Que nada, quem ia para campo era o francês Mathieu Flamini. Com 45 minutos no cronômetro, a mexida que poderia ter sido feita meia hora antes: saiu Prince para a entrada de Ronaldinho.

Paolo Mazzoleni prometera 4 minutos de acréscimos. Nesse tempo reduzido, foi possível ver um belo lançamento de Ronaldinho buscando Ibrahimovic (Curci saiu bem e ficou com a bola). O camisa 80 brasileiro também conseguiu um cruzamento que atravessou a área e por pouco não resultou no gol da vitória. Mas um treinador que coloca alguém do nível de Ronaldinho Gaúcho nos instantes finais de uma partida empatada não merece vencer. E como a Sampdoria "gosta" de um empate (foi a equipe que mais empatou até aqui no Calcio, chegando à 8ª igualdade em 14 partidas), o 1a1 se confirmou até o apito final.

Outro resultado

Juventus 1a1 Fiorentina

Jogos de domingo

Internazionale e Parma
Bari e Cesena
Bologna e Chievo
Brescia e Genoa
Cagliari e Lecce
Lazio e Catania
Udinese e Napoli
Palermo e Roma

Berbatov Rouba A Cena No Teatro Dos Sonhos

Uma, duas, três, quatro, cinco vezes Dimitar Berbatov balançou a rede adversária na partida em que o Manchester United aplicou uma goleada de 7a1 pra cima do Blackburn Rovers, em Old Trafford. Algo formidável por si só e que ganha contornos de ficção se formos levar em consideração que o atacante búlgaro não marcava gol há 10 partidas.

O jogo

Foi a típica partida de um time só. Muitas dessas partidas costumam ser chatas, onde uma equipe domina as ações mas esbarra na marcação adversária e acaba não criando oportunidades. Não foi o caso desse jogo: o Manchester United emplacou um ritmo intenso, adiantou a marcação, circulou a bola com objetividade e contou com o oportunismo e a categoria de Berbatov para construir uma goleada contundente para cima do Blackburn, que teve a dignidade de não distribuir pontapés e manter uma postura dentro da idéia de esportividade.

Logo com 72 segundos de jogo (1:12m), o Manchester United conseguiu abrir o placar: Nani fez jogada pela esquerda, levantou na área, Wayne Rooney desviou e Berbatov completou para a rede. O desagradável no lance foi que o goleiro Paul Robinson havia se machucado segundos antes, em dividida de bola, e acabou voltando mais lentamente que o normal, o que indubitavelmente influenciou na jogada.

Aos 22 minutos, veio o segundo gol: Ânderson passou para Park Ji-Sung, o sul-coreano arrancou, tabelou com Rooney, recebeu belo passe de volta e, de frente com Robinson, finalizou com categoria e sutileza.

Se nos dois primeiros gols a assistência foi de Rooney, dessa vez quem presenteou foi o zagueiro Pascal Chimbonda: na tentativa de recuar o jogo, o francês acabou dando um presentaço para Dimitar Berbatov marcar 3a0, aos 26 minutos. Teria sido uma gentileza de "Ação de Graças" ou antecipando o Natal? Bem, o fato é que o búlgaro agradeceu, aproveitou, e o estádio comemorou.

No intervalo, foi divulgada uma estatística interessante sobre o ataque do Manchester United. Nela dizia que, no decorrer da primeira etapa, 28% das investidas da equipe se davam pelo lado esquerdo, 71% pelo centro e apenas 1% pelo setor direito. Parece que Alex Ferguson teve acesso a esse dado e apostou que, pelo lado direito, poderia haver um atalho para o gol - o mapa da mina seria jogar em cima de Chimbonda.

Dito e feito. Com 94 segundos (1:34m) na etapa complementar, Nani desceu pelo até então pouco explorado setor direito, encarou a marcação do camisa 39 como quem iria para a linha-de-fundo e, com um corte para a esquerda, deixou o adversário no chão: daí foi rolar para Berbatov, que mandou pra dentro e selou o que, naquela altura, era o "hat-trick" do camisa 9. 4a0. Chamou a atenção o fato de o próprio Berbatov ter iniciado a jogada, quando tabelou com Patrice Evra dando bonito toque de letra e ainda recebeu a bola de volta para fazer o lançamento para o setor direito de ataque.

Não demorou muito (mais precisamente 1:13m) para o Manchester chegar novamente. E por onde? Pelo lado direito. Era por lá que estava novamente o português Nani, novamente acompanhado por Chimbonda e novamente escapando do francês com o mesmo drible. O lance só não foi uma cópia fiel do anterior porque dessa vez o próprio Nani tratou de finalizar, marcando 5a0 com cum chute cruzado de perna esquerda.

Aos 16 minutos, mais Manchester, mais lado direito, mais Nani. Agora foi a vez do português tocar na passagem de Rafael que, da linha-de-fundo, rolou atrás: Park chutou, foi bloqueado, e a bola voltou nos pés de Berbatov, que tratou de estufar a rede de Robinson. 6a0.

Na marca de 24 minutos, Ânderson passou para Berbatov e o búlgaro provou que o dia era mesmo dele: quando tentou tocar de lado para que Rooney deixasse a sua marca, o corte da defesa fez com que a bola retornasse no camisa 9, que tratou de endereçá-la para a rede. Na comemoração, braço esquerdo esticado mostrando o número 5, em marca inédita para o maior goleador da seleção búlgara.

O gol de honra dos visitantes aconteceu aos 37 minutos: Josh Morris (que entrou no segundo tempo no lugar do improdutivo e pouco acionado El-Hadji Diouf) cruzou da esquerda e o defensor Christopher Samba subiu mais que a zaga do Manchester United (naquela altura do jogo sem Nemanja Vidic, que deu lugar a Jonathan Evans) para marcar de cabeça, instantes após o próprio Samba ter mandado um cabeceio no travessão de Edwin van der Sar. Alguns podem até comentar que o congolês se apoiou na marcação, o que caracterizaria falta no lance. Mas que seja. O espetáculo já estava consumado, aguardando o fechar das cortinas e os aplausos para o protagonista Dimitar Berbatov.

Outros resultados

Aston Villa 2a4 Arsenal
Bolton 2a2 Blackpool
Everton 1a4 West Bromwich
Fulham 1a1 Birmingham
Stoke City 1a1 Manchester City
West Ham 3a1 Wigan
Wolverhampton 3a2 Sunderland

Nesse domingo, dois jogos completam 15ª rodada. Em Saint James Park, o Newcastle recebe o Chelsea, em partida onde os Azuis precisam da vitória se quiserem reassumir a liderança. Já em White Hart Lane, Tottenham e Liverpool duelam na tentativa de se aproximarem da zona de classificação para a Liga dos Campeões da Europa.

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Os Melhores Do Brasileirão, Quem São?

A premiação deverá acontecer no dia seguinte à última rodada, mas a lista com os candidatos a melhores no Campeonato Brasileiro 2010 já foi divulgada pela Confederação Brasileira de Futebol.

As equipes com maiores números de indicações são exatamente as três que disputam o título: Cruzeiro (6), Corinthians (5) e Fluminense (3 concorrentes).

Contesto o critério de agrupar os atacantes em dois blocos de três nomes. Entendo que seria mais interessante - e justo - que todos os seis indicados tivessem possibilidades de formarem uma dupla.

A seguir, a lista com os jogadores e as respectivas categorias às quais concorrem. Logo abaixo, os comentários com a minha atual opinião a respeito.

Goleiros
Fábio (Cruzeiro)
Jéfferson (Botafogo)
Victor (Grêmio)

Indicação bastante razoável, com os três goleiros de maior nível técnico em atividade no futebol brasileiro. Acompanhei mais de perto o desempenho de Jéfferson e digo, com segurança, que suas convocações por Mano Menezes são justas e suas atuações clamam por uma chance com a titularidade na seleção brasileira. Um dos principais responsáveis pela campanha botafoguense, que sofreu diversos desfalques ao longo do torneio mas contou com uma grande regularidade do camisa 1. Voto Jéfferson.

Laterais-direitos
Jonathan (Cruzeiro)
Leonardo Moura (Flamengo)
Mariano (Fluminense)

Três laterais de qualidade, que fazem jus às nomeações. Acompanhei mais de perto a temporada de Leonardo Moura e Mariano. A regularidade deste último (indo bem tanto no primeiro quanto no segundo semestre) e a crescente de produção desde que chegou ao Fluminense, em 2009, o livraram da perseguição da torcida e o levaram, com méritos, à seleção brasileira. Voto Mariano.

Zagueiro direito
Alex Silva (São Paulo)
Chicão (Corinthians)
Dedé (Vasco)

Achei o Campeonato de Chicão muito irregular e por isso já o descartaria. Pouco conheço esse Dedé, mas o que vem sido dito a respeito do vascaíno chega a chamar atenção (concorre também ao prêmio "Revelação"). Gostaria de ter visto mais atuações até para me sentir à vontade em votar nele, mas como isso não ocorreu, irei com um jogador que conheço melhor. Voto Alex Silva.

Zagueiro esquerdo
Leandro Euzébio (Fluminense)
Miranda (São Paulo)
Réver (Atlético-MG)

Talvez seja o mais fraco dos três, mas a eficiência ofensiva e a entrega ao plano de jogo de Muricy Ramalho não me deixam dúvidas de em quem votar. Voto Leandro Euzébio.

Laterais-esquerdos
Kléber (Internacional)
Diego Renan (Cruzeiro)
Roberto Carlos (Corinthians)

Roberto Carlos foi outro que pecou pela falta de regularidade. Kléber teve um bom desempenho no geral, mas atuou também no setor de meio-campo. Por eliminação e também por entender que a performance do lateral cruzeirense foi satisfatória... Voto Diego Renan.

Volante direito
Fabrício (Cruzeiro)
Jucilei (Corinthians)
Willians (Flamengo)

Achei que Willians teve uma queda de produção flagrante de 2009 para 2010. Jucilei rendeu bem, e vale lembrar que era reserva com Mano Menezes. Mas dos três, o nome que mais me agrada é o de Fabrício: no pouco que vi, achei um jogador de boa técnica e grande compromisso tático. Voto Fabrício.

Volante esquerdo
Arouca (Santos)
Elias (Corinthians)
Marcos Assunção (Palmeiras)

As pessoas que conversam bastante de futebol comigo sabem o quanto gosto do Arouca (defendo sua convocação para a seleção brasileira, inclusive). Mas creio que nem ele nem Marcos Assunção (que subiu de produção significativamente nos últimos meses) fizeram um campeonato melhor que o de Elias. Voto Elias.

Meia-armador direito
D'Alessandro (Internacional)
Montillo (Cruzeiro)
Paulo Baier (Atlético-PR)

Essa é fácil. Com todo o respeito ao futebol de D'Alessandro (que foi muito bem, certamente melhor que em 2009) e Paulo Baier (sempre taxado disso e daquilo mas conservando uma seqüência de boas atuações temporada após temporada), mas ver Walter Damián Montillo jogar vale o ingresso. Excelente jogador, um dos melhores dessa Série A. Voto Montillo.

Meia-armador esquerdo
Bruno César (Corinthians)
Conca (Fluminense)
Douglas (Grêmio)

Três nomes de força. Douglas reencontrou um futebol de qualidade e fez por merecer o chamado para a seleção brasileira. Bruno César foi uma grata revelação desse ano, tudo indica que ainda ouviremos falar muito dele. Mas ninguém tira uma vaga de Darío Conca na seleção do campeonato. Atuou em todas as 36 partidas da equipe que vai liderando a competição e participou de quase metade dos gols, seja dando assistência, seja marcando ele próprio. Voto Conca.

Atacante 1
Éder Luís (Vasco)
Jonas (Grêmio)
Thiago Ribeiro (Cruzeiro)

Não compreendo a nomeação de Éder Luís. Ponto. O negócio acabou ficando entre Jonas e Thiago Ribeiro. Tecnicamente, nenhuma dúvida de que Thiago é (muito) mais jogador. Mas, convenhamos, a artilharia isolada do gremista combinada ao execesso de suspensões/contusões do cruzeirense acabam influenciando decisivamente. Voto Jonas.

Atacante 2
Kléber (Palmeiras)
"Loco" Abreu (Botafogo)
Neymar (Santos)

Por mais que tenha boa técnica, não acho que o nome de Kléber devesse figurar na lista. Ponto. Sou fã desse uruguaio da camisa 13 e acho que poderia figurar na seleção do campeonato sem qualquer problema. Acontece que descartar Neymar não ficaria de bom tom: mesmo com polêmicas, crises nervosas e tome alegria dos sensacionalistas, o jovem santista conseguiu, mesmo num Santos já classificado para a Libertadores, ter atuações destacadas. Voto Neymar.

Melhor técnico
Muricy (Fluminense)
Cuca (Cruzeiro)
Renato Gaúcho (Grêmio)

Aqui vou sem pestanejar no nome daquele que comanda a equipe que apresenta o melhor futebol do país. Julgar a beleza do futebol extravasa meras leituras de tabela de classificação. Mesmo assim, seu time está aí, na disputa pelo título nacional. Voto Cuca.

Revelação
Bruno César (Corinthians)
Dedé (Vasco)
Neto (Atlético-PR)

Darei o voto àquele que acompanhei mais de perto. Aliás, gostei muito da maioria das atuações desse jogador e digo mais uma vez: tudo indica que ainda ouviremos falar muito dele. Voto Bruno César.

Craque da galera
Bruno César (Corinthians)
Conca (Fluminense)
Dedé (Vasco)

Direto e reto. Vale a mesma explicação que foi dada para "meia-armador esquerdo". Voto Conca.

Melhor árbitro
Carlos Eugênio Simon
Paulo César de Oliveira
Sandro Meira Ricci

Alguns poderiam brincar e dizer que, nessa lista, aparece o 6º nome corinthiano. Gostaria de passar ao largo desse voto: aprendi que elogiar árbitro é pedir para se arrepender. Mas vamos lá. Pela experiência, pela surpreendente quantidade reduzida de "grandes cagadas" (desculpem a expressão) e até pela Copa "aceitável" (tudo bem, releva essa parte, a lista tange ao Brasileirão apenas)... Voto Carlos Eugênio Simon.

A quem interessar possa, o evento com a nomeação dos premiados está marcado para o Teatro Municipal, no Rio de Janeiro, na noite de 6 de dezembro. Prometem-se homenagens ao atacante Ronaldo (camisa 9 do Corinthians), à torcida do Bahia (que festeja o retorno à Série A em 2011) e aos campeões mundiais em 1970 (que completam 40 anos da conquista).

Série B 2010: 38ª Rodada E Seus Pitacos

É chegada a hora da última rodada da competição que reuniu 20 clubes, levando 4 deles para o "sonho" de disputar a Série A e outros 4 para o "pesadelo" de jogar a Série C.

Coritiba, Bahia e Figueirense garantiram o acesso. A última vaga ficará entre América Mineiro e Portuguesa de Desportos.

Na parte de baixo da tabela, Santo André e Ipatinga estão despromovidos. América de Natal, Brasiliense, Vila Nova e Guaratinguetá tentam escapar das duas últimas vagas.

Santo André e Náutico
O desmanchado vice-campeão paulista caiu para a Série C na temporada seguinte ao rebaixamento para a Série B. O Náutico escapou do descenso na rodada passada, quando venceu o Vila Nova no estádio dos Aflitos. Dá Santo André.

Duque de Caxias e ASA
O 11º colocado recebe o 9º num duelo para ratificar a ambas as equipes uma colocação pelo meio da tabela de classificação. Dá Duque de Caxias.

Ponte Preta e América/MG
Poucas equipes tiveram um aproveitamento pior dentro de casa do que a Ponte Preta. Sem ameaçar nem ser ameaçada, a Macaca recebe o Coelho, que com um empate garante o acesso. Conseguirá mais que isso. Dá América/MG.

Vila Nova e São Caetano
O alvirrubro entra em campo bastante ameaçado (é o time situado imediatamente acima da zona indesejável) e conta com o apoio da torcida e o desinteresse do São Caetano para garantir o resultado que o manterá na Série B, onde, em 2011, poderá duelar com o Goiás. Dá Vila Nova.

Figueirense e Paraná
A equipe que menos perdeu como mandante (duas derrotas, assim como o Coritiba) joga em casa podendo terminar a competição com o vice-campeonato. Dá Figueirense.

Bragantino e Bahia
O Bragantino recebe a equipe com maior número de vitórias como visitante (9). Curiosamente, é o mesmo número de triunfos do Braga atuando dentro de casa. Dá empate.

Sport e Portuguesa
Enquanto o Leão perdeu qualquer possibilidade de subir nessa temporada, a Lusa segue esperançosa quanto ao acesso. Para dar as caras novamente na Série A, precisará vencer o adversário na Ilha do Retiro e torcer por vitória da Ponte Preta diante do América Mineiro. Acho a combinação muito improvável e chego a desconfiar de o rubro-verde cumprir o seu papel no Recife. Dá empate.

Coritiba e Guaratinguetá
Na despedida de Ney Franco do comando alvi-verde, não vejo nada mais justo e coerente com a campanha campeã do que uma vitória no Couto Pereira. O rebaixável Guaratinguetá sabe que qualquer resultado diferente de uma vitória o fará depender de outros resultados para permanecer na Série B. Será que o Coxa, sensível à causa que por ele próprio foi experienciada ano passado, amolecerá? Dá Coritiba.

Ipatinga e Icasa
O Ipatinga se despede da Série B talvez com o intuito único de não terminar na lanterna. Nem acho que o fator campo o auxilie tanto (ganhou metade dos 18 jogos como mandante), mas considero pouco provável que o Icasa ofereça grande resistência. Dá Ipatinga.

América/RN e Brasiliense
No estádio Machadão teremos o que considero o confronto mais "caliente" nessa última rodada. Muito menos em função do calor potiguar do que pela situação das equipes na tabela: somente uma dessas duas equipes poderá escapar do descenso. Há ainda a possibilidade de caírem abraçadas. Senhoras e senhores, se há uma "final" no próximo sábado, é desse jogo que estamos falando. Dá América/RN.

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Heróico, Goiás Vira O Jogo E Desbanca "Favorito"

A imprensa esportiva brasileira - com o perdão da generalização - parecia já saber que o Palmeiras chegaria na final da Copa Sul-Americana 2010 (alguns, como o pseudo-craque Neto, já até antecipavam o título continental). Mas esqueceram de avisar tais "previsões" ao mundo dos fatos. E, no mundo dos fatos, o Goiás foi superior ao adversário, não tomou conhecimento de um Pacaembu com grande público e conquistou, merecidamente, a vitória que o classificou para a final. Como disse o goleiro Harlei ainda no gramado, "o Goiás hoje é o Brasil".

O jogo

36.410 era o número de espectadores no estádio municipal Paulo Machado de Carvalho, vulgo Pacaembu. A esmagadora maioria de palmeirenses não faria idéia da grande decepção que essa noite de quarta-feira lhes proporcionaria. Principalmente levando-se em consideração o início de jogo por parte do Palmeiras, com direito a bola de Tinga na trave direita de Harlei aos 12 minutos e nova oportunidade em chute de Lincoln da meia-lua, defendido por Harlei no canto direito, aos 18 minutos.

Aos 21 minutos, o Goiás respondeu de imediato a uma nova chance palmeirense (que havia chegado através de arrancada de Luan, mas o chute fraco foi defendido por Harlei): Rafael Moura decidiu chutar de fora da área e mandou a bola no travessão de Deola. Com 27 minutos, foi a vez de Otacílio Neto pegar sobra de bola na área e chutar rasteiro para defesa de Deola no canto direito.

No momento em que a equipe visitante equilibrava as ações, surgiu o gol palmeirense: Edinho lançou Luan na esquerda, o atacante de 22 anos amorteceu no peito e chutou cruzado para estufar a rede goiana no quadrante 15, aos 33 minutos. Festa no Pacaembu.

Contando com atuação sensacional de Rafael Moura, o Goiás buscava reagir. Aos 37 minutos, Rafael Moura fintou Maurício Ramos sem sequer tocar na bola, atraiu a marcação adversária e passou para Otacílio Neto, que mandou um chute por cima da meta. 6 minutos depois, Kléber teve chance de ampliar para o Verdão, mas o chute foi à direita do gol.

Aos 47 minutos, Marcelo Costa cobrou falta no travessão, Rafael Moura recebeu a sobra de bola escorando de cabeça e, também com um cabeceio, Carlos Alberto emendou e contou com desvio na marcação para superar Deola, empatando a partida instantes antes do intervalo.
Carlos Alberto comemora o gol de empate, no último lance do primeiro tempo.

E foi no intervalo que Arthur Neto teve grande sacação tática: tirou o zagueiro Douglas (que recebera o único cartão amarelo da partida por falta cometida aos 30 minutos) e colocou o atacante Felipe. Aliando essa grata substituição à postura mais ofensiva do Esmeraldino, veríamos na etapa complementar o atacante Rafael Moura recebendo maior aproximação de seus companheiros. E se isolado no ataque o "He-Man" já tinha atuação brilhante, imagine agora.

Aos 4 minutos, Deola já teria de trabalhar com defesa difícil no canto direito. 2 minutos depois, Danilo saiu jogando errado, Felipe recuperou, fez o cruzamento e Marcão cabeceou à direita.

As arquibancadas tinham um clima de apreensão que tomava conta do estádio. Nem parecia que o Palmeiras tinha um resultado que lhe favorecia e um público que o apoiava. A aplicação tática e a valentia dos comandados de Arthur Neto se sobrepunham à falta de jogadas mais elaboradas por parte do time escalado por Luiz Felipe Scolari.

Com 24 minutos, Rafael Moura foi lançado, encarou a marcação, chutou firme e Deola conseguiu encaixar. 5 minutos depois, Kléber estava em liberdade para desempatar o jogo, mas desperdiçou a sobra com um chute torto, à esquerda.

Aos 33 minutos, Scolari fez sua primeira substituição: optou por tirar Lincoln para colocar Dinei. Ou seja, um ganho de velocidade mas uma perda na valorização da posse de bola. Na marca de 36 minutos, veio a virada visitante. Pelo lado esquerdo, Wellington Saci tocou na passagem de Marcão. O bravo defensor de 35 anos cruzou com uma cavadinha caprichada e encontrou Rafael Moura na trave oposta. Esbanjando consciência, Rafael Moura centralizou o lance com um cabeceio que desmontou de vez a marcação palmeirense. E, na pequena área, estava o zagueiro Ernando, que completou de cabeça para estufar a rede do já batido Deola.

Agora oficialmente em desvantagem, o Palmeiras passou pela primeira vez no confronto de 180 minutos a ter a real necessidade de marcar um gol. Enquanto Arthur Neto recompunha o meio-campo trocando Otacílio Neto por Jonílson, Felipão chamava Éwerthon para a vaga de Tinga. E o que o Palmeiras criou nos minutos derradeiros? Resposta: nada. O silêncio só não era sepulcral no Pacaembu pois um reduzido número de torcedores esmeraldinos cantava e pulava no setor que lhe era reservado no estádio. Numa tacada só, o Goiás silenciou um estádio de futebol e uma comunidade de jornalistas.
Do inferno ao céu: após lamentarem rebaixamento para a Série B, torcedores goianos festejam inédita vaga em final continental.

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Longe De Convencer, Inter Vence Twente E Avança

No jogo entre a atual campeã italiana e o atual campeão holandês, uma magra vitória dos donos da casa por 1a0 (gol de Esteban Cambiasso) garantiu a classificação da Internazionale para a próxima fase na Liga dos Campeões da Europa. O Twente cumpre tabela na última rodada já ciente de que disputará a Liga Europa.

O jogo

Uma chance clara com 2 minutos de jogo - quando Jonathan Biabiany serviu Wesley Sneijder, que livre na pequena área escorou para fora - dava a impressão de que, com naturalidade, a Internazionale construiria a vitória no estádio Giuseppe Meazza. Mas não foi o que aconteceu. Outra oportunidade de destaque foi acontecer somente aos 16 minutos, quando, em cobrança de falta, Sneijder mandou a bola caprichosamente no travessão. A Internazionale contava basicamente com a boa participação do trio formado por Sneijder, Biabiany e Samuel Eto'o, mas aos poucos o Twente conseguia equilibrar o jogo e inclusive levar vantagem no meio-campo.

Voltando com os mesmos jogadores para a etapa complementar, a diferença é que nos primeiros minutos a Inter conseguiu colocar pressão na equipe visitante. Aos 5 minutos, Goran Pandev recebeu próximo da meia-lua e mandou um chute perto da trave direita de Nikolay Mihaylov. Na marca de 9 minutos, não teve jeito: Sneijder cobrou falta, a bola bateu na barreira, rebateu na defesa adversária e encontrou Esteban Cambiasso livre dentro da área. O volante argentino não desperdiçou e abriu o placar com um chute cruzado no canto direito.

O gol pareceu tirar um peso enorme de uma equipe comandada por um treinador sob pressão. Novas chances apareceram, as principais delas com Javier Zanetti, Sneijder e Dejan Stankovic, todas sem sucesso. O Twente cresceu no jogo após uma mexida aos 24 minutos, quando o atacante austríaco Marc Janko deu lugar ao meia Denny Landzaat. O próprio holandês de 34 anos acertaria o travessão de Luca Castellazzi 5 minutos após entrar em campo. No minuto seguinte, o zagueiro brasileiro Douglas ajeitou uma bola alçada na área e Luuk De Jong chegou chutando e mandando com perigo, à direita da meta.

Os últimos minutos de partida foram de um Twente no campo de ataque diante de uma Internazionale recuada, que sequer conseguia levar perigo em contra-ataques, longe de parecer uma equipe campeã européia. Podemos dar uma aliviada em função dos muitos desfalques da Inter para essa partida, mas o desempenho ao longo da temporada aliado ao modesto 6º lugar ocupado no Calcio atualmente, não me deixa mentir: se quiserem o bicampeonato, os "Nerazzurri" terão de jogar muito mais que isso.

Outros resultados

Grupo A: Tottenham 3a0 Werder Bremen
- O Tottenham garantiu classificação e depende apenas de si para terminar em 1º lugar no grupo. O Werder se despede das competições européias cumprindo tabela com a Internazionale.

Grupo B: Schalke 04 3a0 Lyon; e Hapoel Tel Aviv 3a0 Benfica
- Alemães e franceses passam de fase, restando a definição das colocações entre eles (ápenas uma vitória do Lyon combinada a um tropeço do Schalke poderá inverter as posições atuais). Para ultrapassar o Benfica e conseguir vaga na Liga Europa, o Hapoel Tel Aviv precisará vencer o Lyon na França e contar com um tropeço benfiquista no estádio da Luz.

Grupo C: Rangers 0a1 Manchester United; e Valência 6a1 Bursaspor
- Manchester United e Valência se classificam e duelam pelo primeiro lugar no grupo em Old Trafford, com os donos da casa podendo empatar para conservar a posição. Rangers vai à Liga Europa e Bursaspor retorna aos jogos exclusivamente em território turco.

Grupo D: Rubin Kazan 1a0 Copenhaguen; e Panathinaikos 0a3 Barcelona
- Barcelona avança em primeiro lugar e Panathinaikos fica na lanterna. A missão dos russos de seguir na Liga dos Campeões é complicada: vencer no Camp Nou além de os dinamarqueses tropeçaram dentro de casa diante dos gregos. Empate diante do Barça também serve, mas desde que o Copenhaguen necessariamente saia derrotado pelo Panathinaikos.

Se nos jogos de terça foram acertados 4 pitacos, na quarta-feira foram cravados 6 palpites.

Liga Dos Campeões, 5ª Rodada: Jogos E Pitacos

Calma, caro leitor. Não é a repetição do tópico de mesmo título. Dessa vez vamos palpitar quanto aos jogos pelos grupos A, B, C, e D, que serão disputados hoje.

Internazionale e Twente
Em queda no Calcio e sob especulações de que Rafa Benítez já balança no cargo de treinador, a Internazionale recebe o Twente para, com uma vitória, garantir a classificação antecipada. Por mais que o ambiente não seja dos melhores para os "Nerazzurri", não creio que o Twente seja capaz de aprontar no San Siro. Dá Internazionale.

Tottenham e Werder Bremen
Embalado pela recente vitória sobre o Arsenal em pleno Emirates Stadium (3a2, de virada), os Spurs recebem o Werder no White Hart Lane, terreno onde não tomou conhecimento de Twente (4a1) nem de Internazionale (3a1). Dá Tottenham.

Schalke 04 e Lyon
O Lyon vai a Gelsenkirchen sabendo que o empate garante a classificação antecipada. Já os donos da casa devem pensar que, em caso de igualdade, terão de definir a vaga diante do Benfica, no estádio da Luz. Não sei se a provável iniciativa que o clube alemão deverá tomar no jogo irá significar o triunfo, mas tenho certeza de que são altas as chances de sair daí um grande jogo. Dá Schalke 04.

Hapoel Tel Aviv e Benfica
Os israelenses dão sua última cartada para buscar uma vaga na Liga Europa diante de um Benfica que, caso não vença, poderá ter a classificação às oitavas bastante ameaçada (uma derrota combinada a uma vitória do Schalke já elimina o clube português). Dá Benfica.

Rangers e Manchester United
O escocês Alex Ferguson levará para Glasgow uma dupla de zaga reserva (Rio Ferdinand e Nemanja Vidic, poupados, darão lugares a Chris Smalling e Johnny Evans). Se o empate classifica o time inglês, deverá eliminar os donos da casa (bastaria o Valência superar o Bursaspor na Espanha). Cantei a pedra? Dá empate.

Valência e Bursaspor
Quando se enfrentaram na Turquia, deu Valência por 4a0. A dúvida é se no Mestalla o placar será mais ou menos dilatado. Dá Valência.

Rubin Kazan e Copenhaguen
Com 3 empates e uma derrota (justamente para o Copenhaguen), o Rubin Kazan precisará da vitória em seus domínios para manter esperanças de classificação. Não conseguiu diante do Panathinaikos, será que hoje vai? Darei um voto de confiança aos russos. Dá Rubin Kazan.

Panathinaikos e Barcelona
Não apenas pelo fato de o Barcelona ser muito mais time e vir de uma goleada por 8a0 sobre o Almería na Liga Espanhola, mas também pela ineficiência dos gregos em seus domínios (onde perderam para o Copenhaguen por 2a0 e empataram sem gol com o Rubin Kazan), não poderia ousar dar outro pitaco. Dá Barcelona.

Vamos ver se superamos a marca de ontem, que foi de 4 acertos (50%).

Bayern, Chelsea E Real Já Confirmam Lideranças

Vamos a breves considerações referentes aos acontecimentos de ontem pela 5ª rodada na fase de grupos dessa Liga dos Campeões da Europa, onde não tivemos nenhuma partida empatada: foram quatro vitórias dos mandantes e quatro vitórias dos visitantes. Quatro também foi o número de pitacos acertados pelo blogueiro (veja os palpites).

Grupo E: Bayern de Munique (12 pontos), Roma (9), Basel (6) e Cluj (3).

Após voltar do intervalo perdendo por 2a0 (dois gols de Mario Gómez), a Roma conseguiu uma virada providencial pra cima do Bayern de Munique (Borriello, De Rossi e Totti marcaram). A vitória por 3a2 dos romanos não impediu a consumação da liderança bávara, mas serviu para que a equipe italiana ficasse muito perto de assegurar o segundo lugar na chave: só um desastre impedirá a classificação dos comandados de Cláudio Ranieri.

No outro jogo da chave, o Basel contou com o gol solitário de Federico Almerares (italiano nascido na Argentina) para, dentro de casa, vencer o Cluj e garantir pelo menos uma vaga na seqüência da Liga Europa. Se os deuses do futebol derem uma força, ainda dá pra seguir para as oitavas: para isso, a equipe suíça precisará vencer o Bayern em Munique e, ao mesmo tempo, o Cluj superar a Roma na Romênia.

Grupo F: Chelsea (15 pontos), Olympique de Marselha (9), Spartak de Moscou (6) e Zilina (0).

O Zilina pode dizer que viveu seus momentos de glória na Liga dos Campeões da Europa: abriu o placar em pleno Stamford Bridge. E foi um golaço, que saiu após bela tabela entre Tomás Majtán e o nigeriano Issiaka Bello, autor do gol. A virada dos Azuis veio na etapa complementar, com gols de Daniel Sturridge e Florent Malouda, fazendo do Chelsea a única equipe com possibilidades de fechar a fase de grupos com 100% de aproveitamento.

Se o Chelsea já garantiu a liderança na chave, o Olympique de Marselha tratou de tomar conta da 2ª colocação ao golear o Spartak em plena capital russa: 3a0, gols de Mathieu Valbuena, Loïc Remy (em lance forte candidato a jogada da semana) e do brasileiro Brandão. Enquanto o Olympique festeja a presença nas oitavas-de-finais (algo que não acontecia desde a temporada 1999-2000), o Spartak de Moscou terá de se contentar em disputar a Liga Europa na continuidade da temporada.

Grupo G: Real Madrid (13 pontos), Milan (8), Ajax (4) e Auxerre (3).

O Real Madrid garantiu o 1º lugar de forma contundente: sapecando 4a0 no Ajax em plena Arena de Amsterdã. A partida contou com um golaço do francês Karim Benzema, mas o fato que mais chamou atenção no jogo foi a orientação de José Mourinho para que Xabi Alonso e Sérgio Ramos forçassem as próprias expulsões, visando garantir que os atletas pendurados não ficassem suspensos da partida de ida pelas oitavas-de-finais. Missão cumprida por ambos.

O Milan venceu o Auxerre pelos mesmos 2a0 que havia conquistado em Milão. Dessa forma, a equipe italiana avança de fase como 2ª colocada na chave. Os gols do jogo foram marcados por Zlatan Ibrahimovic e Ronaldinho Gaúcho, que só entrou na etapa complementar. Para não dizer que o grupo está definido, resta saber quem entre Ajax e Auxerre irá para a Liga Europa.

Grupo H: Shakhtar Donetsk (12 pontos), Arsenal (9), Braga (9) e Partizan (0).

Com a vitória por 2a0 sobre o Arsenal (dois gols do brasileiro Matheus, o segundo muito bonito), o Braga conseguiu embolar o grupo H: a equipe portuguesa pode terminar em 3º lugar e disputar a Liga Europa, ou avançar na Liga dos Campeões como 2ª ou até como 1ª colocada. A matemática para a classificação portuguesa é simples: vencer o Shaktar em Donetsk. A tarefa é que não será tão simples assim... Já o Arsenal definirá a sua classificação no Emirates Stadium diante do Partizan. Será que o mais pessimista dos torcedores supõe uma eliminação nessas condições?

O Shakhtar foi a Belgrado e venceu o Partizan por 3a0, com todos os gols saindo no segundo tempo (Taras Stepanenko e os brasileiros Jádson e Eduardo da Silva marcaram). Para garantir o primeiro lugar no grupo, basta empatar na Ucrânia diante do Braga. Caso perca o jogo, apenas um improvável tropeço do Arsenal, em Londres, classificaria os ucranianos. O Partizan vai à capital inglesa para se despedir das competições européias nessa temporada.

terça-feira, 23 de novembro de 2010

Liga Dos Campeões, 5ª Rodada: Jogos E Pitacos

Nessa terça-feira, a Liga dos Campeões da Europa abre a 5ª rodada pela fase de grupos na presente temporada com as partidas pelos grupos E, F, G e H. Vamos aos pitacos.

Roma e Bayern de Munique
Apenas o Bayern e o Chelsea conservaram 100% de aproveitamento após quatro rodadas disputadas. A equipe alemã vai à capital italiana bastante desfalcada e se classifica em primeiro lugar no grupo mesmo perdendo por um gol de diferença (caso balance a rede romana, derrotas por dois gols também servem aos bávaros). Dá Roma.

Basel e Cluj
Duas equipes que visam o 3º lugar para irem à Liga Europa, mas que podem de repente contar com uma nova vitória do Bayern para tentarem beliscar uma vaga nas oitavas. O Cluj quase aprontou pra cima do Bayern na Allianz Arena, mas acho que o Basel deverá fazer-se valer do fator campo. Dá Basel.

Chelsea e Zilina
A crise ronda o Stamford Bridge. Perder duas partidas consecutivas na Premiership é algo que não acontecia há bastente tempo aos Azuis de Londres. Diante do saco de pancadas dessa fase de grupos, qualquer resultado diferente de uma vitória aumenta a preocupação quanto ao futuro de Carlo Ancelotti no clube. Dá Chelsea.

Spartak de Moscou e Olympique de Marselha
Confronto direto na disputa pela outra vaga nesse grupo F. Jogando no frio da capital russa e contando com o talento de jogadores como Alex e Íbson, acho que os mandantes têm ligeira vantagem para o duelo. Dá Spartak de Moscou.

Ajax e Real Madrid
A Arena de Amsterdã recebe uma partida interessante, onde o Ajax busca a classificação e o Real Madrid a manutenção da liderança na chave. Luis Suárez e companhia precisarão jogar muita bola para superar a equipe dirigida por José Mourinho. Dá empate.

Auxerre e Milan
A equipe da semana vai à França, onde fará jogo duríssimo diante do Auxerre, time que vendeu caro a derrota no encontro entre essas duas equipes em Milão. As ausências de Andrea Pirlo, Filippo Inzaghi e Alexandre Pato deverão fazer falta na equipe de Massimiliano Allegri. Dá empate.

Partizan e Shakhtar Donetsk
O que deverá dificultar os planos dos visitantes é justamente o fator campo, mas acho que a diferença na qualidade dos elencos poderá compensar esse aspecto. Dá Shakhtar Donetsk.

Braga e Arsenal
Após a sapecada de 6a0 em Londres, o Arsenal reencontra o Braga, dessa vez em Portugal. Sem contar com Manuel Almunia, Thomas Vermaelen, Gaël Cluchy, Abou Diaby, Andrey Arshavin e Robin van Persie, a parada agora deverá ser bem mais complicada para os comandados de Arsène Wenger, que se classificam antecipadamente com pelo menos um empate. E é nesse palpite que irei. Dá empate.

Amanhã será a vez das equipes dos grupos A, B, C e D atuarem.

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Equipe E Jogada Da Semana

Econômico porém eficiente. Assim poderíamos definir a semana do Milan, atual líder na Série A italiana. A equipe conseguiu vencer o clássico de Milão no domingo 14, 1a0, gol de Zlatan Ibrahimovic cobrando pênalti com 4 minutos de partida. Vitória que deve ser valorizada se levarmos em consideração que Ignazio Abate foi expulso de campo e deixou a Internazionale em vantagem numérica na última meia hora de partida. No sábado seguinte, os milaneses receberam a Fiorentina. Novamente, um triunfo por 1a0. Novamente, gol de Ibrahimovic. Vendo no elenco nomes como Ronaldinho Gaúcho, Clarence Seedorf, Alexandre Pato e Robinho, é natural esperar que esse time encante. Não é o que vem acontecendo, mas o fato é que o Milan vem saboreando o topo da tabela, algo que não vinha ocorrendo de umas temporadas para cá.

Jogada da semana

A jogada da semana pode ser considerada como um dos gols anulados de maior beleza já vistos no futebol internacional. Na quarta-feira, Portugal e Espanha empatavam partida amistosa por 0a0, até Cristiano Ronaldo fazer a jogada que pode ser vista no vídeo a seguir. Saboreie o lance de Cristiano e observe como a arbitragem errou na marcação de impedimento, pois embora Nani estivesse em posição duvidosa, a bola já havia atravessado a linha-de-fundo quando o camisa 17 completou para a rede. E tome chilique de Cristiano! No final, 4a0 Portugal.

domingo, 21 de novembro de 2010

Expressinho Colorado Dá Olé Em Pleno Engenhão

Na antepenúltima rodada pela Série A 2010, caiu a última invencibilidade na competição: sem perder jogando no Engenhão, o Botafogo foi derrotado nesse domingo pelo Internacional (2a1, com todos os gols na etapa complementar). Detalhe: Celso Roth, já pensando no Mundial de Clubes (competição que será realizada no mês de dezembro, em Dubai), levou um time recheado de reservas para o Rio de Janeiro. Com o triunfo gaúcho, melhor para o Grêmio, que alcançou e manteve a 4ª colocação no Campeonato Brasileiro.

O jogo

Um gol perdido por Fahel logo no início da partida já deixava a impressão de que o Botafogo chegaria com facilidade ao ataque. Ledo engano. Nenhuma equipe conseguiu se impôr na primeira etapa e a partida rumou para o intervalo com o placar zerado. O desempenho pífio dos donos da casa - que tinha em Edno a figura mais apática dentro de campo - resultou em vaias da torcida após o término da primeira etapa.

Na etapa complementar, o que estava ruim para o Botafogo ficou ainda pior. A equipe até voltou diferente, com mais atitude, algo que foi bastante motivado pela entrada de Jóbson no lugar de Túlio Souza. Mas era o Internacional que se mostrava mais organizado, principalmente quando as jogadas envolviam o trio Andrezinho, Rafael Sóbis e Leandro Damião.

Enquanto Joel Santana mexia mal no time (colocou Caio no lugar de Lúcio Flávio no momento em que o camisa 10 produzia mais que Edno), Roth deu o toque de qualidade que faltava ao meio-campo do Inter ao mandar a campo Tinga, que entrou na vaga de Oscar. E 3 minutos depois, veio o gol colorado. Em jogada onde a defesa botafoguense falhou - sobretudo Leandro Guerreiro, incapaz de afastar a bola da área -, Andrezinho não desperdiçou a oportunidade para abrir o placar aos 19 minutos, com um chute rasteiro no canto direito de Jéfferson.

A torcida não perdoou o camisa 5 e passou a vaiá-lo a cada momento que tocava na bola. Isso acabou aos 27 minutos, no momento em que Leandro deixou o campo para a entrada de Renato Cajá. E, no minuto seguinte, o Inter ampliaria a vantagem: após trocar passes bem à vontade pelo flanco esquerdo de ataque, a bola encontrou Rafael Sóbis livre dentro da área. Foi chutar cruzado e correr pro abraço.

Um minuto depois, um alento aos alvi-negros: Antônio Carlos estufou a rede de Muriel e diminuiu o prejuízo. Alguns chegaram a cantar "esse jogo vai virar", mas o que era feito dentro das quatro linhas não dava maiores motivos para se acreditar nisso. Edno teve grande chance de empatar o jogo, mas parou em defesa de Muriel. O goleiro trabalharia novamente pouco depois, defendendo finalização de Jóbson.

O apito final selou uma vitória colorada dada como improvável. Vitória essa que muitos torcedores do Internacional nem fariam muita questão de torcer... Por falar em torcer, os botafoguenses que acreditam em uma vaga na Libertadores terão de torcer bastante. Por um tropeço do Atlético Paranaense, pelo reencontro do Botafogo ao futebol que o credenciou a essa disputa e pelo título da Copa Sul-Americana indo para LDU ou Independiente.

Outros resultados

Sábado
Flamengo (13º) 2a1 Guarani (18º)
Grêmio Prudente (20º) 1a1 Ceará (12º)
Grêmio (4º) 3a1 Atlético/PR (5º)

Domingo
São Paulo (9º) 1a4 Fluminense (1º)
Palmeiras (10º) 0a2 Atlético/MG (14º)
Vitória (17º) 1a1 Corinthians (2º)
Cruzeiro (3º) 3a1 Vasco (11º)
Avaí (16º) 3a0 Atlético/GO (15º)
Goiás (19º) 1a4 Santos (7º)

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Série B 2010: 37ª Rodada E Seus Pitacos

Dois jogos nessa sexta-feira e oito nesse sábado. Assim será a penúltima rodada pela Série B 2010, que tem três definições: Coritiba, Bahia e Figueirense estão assegurados na próxima edição da Série A. Em termos de rebaixamento para a Série C 2011, há algumas equipes bastante ameaçadas - casos de Santo André e América de Natal - mas nenhuma matematicamente despromovida.

Isso quer dizer que muitas equipes entrarão em campo com o espírito de decisão. Algumas para viver um sonho. Outras, para evitar um pesadelo.

Aos pitacos.

São Caetano e Duque de Caxias
Equipes que jogam para cumprir tabela no Anacleto Campanella. Farei o palpite considerando a boa campanha do Azulão dentro de casa e a fraca performance caxiense na condição de visitante. Dá São Caetano.

Paraná e Bragantino
Outro jogo que visa o cumprimento de tabela. É no estádio Durival de Brito? Dá Paraná.

América/MG e Sport
Partida decisiva no estádio Joaquim Henrique Nogueira, em Sete Lagoas. É a última cartada do Rubro-negro Pernambucano na tentativa de disputar a Série A nacional no ano que vem. Se o América vencer, garante o acesso. Empatando, dependerá apenas de si na partida derradeira (Ponte Preta, em Campinas). Vamos colocar mais emoção nessa disputa que já está acirrada? Dá Sport.

Icasa e Coritiba
O time da casa já está garantido na Série B 2011. O visitante, na Série A. Uma vitória garantirá o título ao Coxa. Mas que tal a festa pelo caneco ser adiada para a última rodada, dentro do estádio Couto Pereira? Dá empate.

ASA e América/RN
Arapiraca receberá um duelo que fará oponentes uma equipe tranqüila pela manutenção na Série B e uma desesperada para sair da zona de descenso. O Dragão cuspirá fogo nas Alagoas, carregando a esperança até a última rodada. Dá América/RN.

Brasiliense e Ponte Preta
Jogo fundamental para a equipe candanga, principalmente se levarmos em conta que o time fecha a participação duelando no Machadão com o América de Natal, adversário direto. Se não vencer a desinteressada Ponte Preta dentro de casa, diria que os comandados de Andrade simplesmente não merecem continuar na Série B. Dá Brasiliense.

Bahia e Santo André
Será na capital baiana que o Ramalhão terá anunciado o seu rebaixamento para a Série C. Um castigo ao time vice-campeão paulista, que sofreu um desmanche de grandes proporções e sentiu o impacto das perdas de jogadores. O Tricolor de Aço, de volta à Série A, mira o caneco. Dá Bahia.

Guaratinguetá e Figueirense
No Vale do Paraíba, o Guaratinguetá receberá o 3º colocado Figueirense. Os planos do Figueira já foram cumpridos e talvez o desejo último dos catarinenses seja recuperar a 2ª colocação. Para o Guará o negócio é mais dramático, pois trata-se do time imediatamente acima da zona indesejada. Dá empate.

Náutico e Vila Nova
Duas equipes ameaçadas, que não poderiam jogar em um local mais apropriado nesse momento: o estádio dos Aflitos. Dois pontos é o que separa os alvi-rubros na tabela de classificação e nenhum deles quer pensar na 18ª derrota. Dá empate.

Portuguesa e Ipatinga
Uma decisão de opostos. A Portuguesa precisa da vitória para continuar o sonho de entrar na zona de classificação para a Série A 2011. O Ipatinga corre atrás do triunfo para sair da zona de descenso para a Série B 2011. Em 18 partidas em casa, a Lusa venceu 12. Em 18 partidas fora de casa, o Tigre perdeu 12. Tô tão seguro do palpite que chego a ficar desconfiado. Dá Portuguesa.

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Chutaço De Marcos Assunção Aproxima Palmeiras Da Final

No estádio Serra Dourada, mais de 14.000 alvi-verdes pagaram para ver Goiás e Palmeiras, pelo jogo de ida na fase semifinal da Copa Sul-Americana 2010. O triunfo visitante deu-se contando, fundamentalmente, com dois acontecimentos. O primeiro foi o chute preciso de Marcos Assunção, aos 2 minutos da etapa complementar, marcando 1a0. O segundo foi a marcação de impedimento no que seria o gol de empate da equipe da casa, nos acréscimos da partida, em lance difícil e que foi assinalado corretamente pelo auxiliar Márcio Santiago.

O jogo

Se geralmente é o time da casa que costuma tomar a iniciativa em partidas eliminatórias, no Serra Dourada foi o Palmeiras que conseguiu ditar o ritmo da partida. Cadenciando a posse de bola e buscando os chutes de Marcos Assunção, os comandados de Luiz Felipe Scolari deram alguns sustos no goleiro Harlei, que teve dificuldade para intervir em pelo menos duas oportunidades.

Se o Verdão tentava nos remates de longa distância, o Esmeraldino buscava o gol nas jogadas aéreas, mas sem conseguir levar vantagem sobre o goleiro Deola e os defensores Maurício Ramos e Danilo. Com a bola no chão, o Goiás conseguiu sua melhor chance na etapa inicial: aos 30 minutos, Felipe ficou cara-a-cara com Deola mas chutou para fora.

Na volta do intervalo, o que o Palmeiras tanto tentou nos 45 minutos iniciais acabou surtindo efeito logo aos 2 minutos, quando Marcos Assunção acertou um petardo indefensável, que estufou o quadrante 4 de Harlei e inaugurou o marcador em Goiânia.

Ambos os times não apresentavam jogadas mais trabalhadas, restando saber se isso se dava por limitações técnicas, táticas, ou se a idéia era tentar tirar proveito das condições do gramado, que encontrava-se molhado.

A busca pelo empate esbarrava nessa falta de organização, mas nos instantes finais surgiram, na base do abafa, duas chances incríveis. Aos 44 minutos, Deola defendeu uma finalização de bicicleta de Otacílio Neto após bate-rebate originado em lance de bola parada. Aos 47 minutos, nova falta para o Goiás no campo ofensivo, nova promessa de bola na área palmeirense e nova irritação de Felipão, que parecia ter ciência de que uma falta cometida naquela região intermediária levaria perigo. E lá foi a bola. Após um desvio no meio do caminho, Rafael Moura e Otacílio Neto ficaram em posição de impedimento e foram em direção a uma bola que iria parar dentro do gol de Deola. Acertadamente, foi levantada a bandeira indicando a irregularidade. Difícil é convencer os torcedores goianos disso: passou a chover novamente no Serra Dourada. Mas não eram águas vindas das nuvens, e sim objetos arremessados das arquibancadas. Um deles, um radinho de pilha, atingiu a cabeça de Scolari enquanto dava entrevista ao repórter Fernando Fernandes. Sem negar o seu estilo, Felipão retribuiu a gentileza com um gesto pouco amigável. Mas o comandante palmeirense pareceu tranqüilo, dando a entender que o que o irrita mesmo são os resultados negativos, o que não foi o caso ali.

Na partida de volta, em São Paulo, o Goiás joga com a obrigação de vencer para poder avançar à final. Os palmeirenses carregam a vantagem conquistada em Goiânia, podendo até empatar diante de seus torcedores. Em caso de vitória goiana por 1a0, a vaga na decisão será definida nas penalidades.

A outra semifinal da competição tem sua primeira partida na noite de hoje e será jogada entre a Liga Deportiva Universitária (a LDU, do Equador) e o Independiente, da Argentina. Se o campeão sair desse jogo, o Campeonato Brasileiro levará o 4º colocado à próxima Copa Libertadores da América. Do contrário, será feita a alegria de Palmeiras ou Goiás. Vamos aguardar os próximos capítulos.

Camisas 10 Se Destacam E Messi Decide

Bolas acertaram a trave. Goleiros realizaram defesas. Sistemas defensivos tiveram bastante trabalho para conter as investidas adversárias. Quando o encontro entre Argentina e Brasil diminuiu de intensidade e finalmente passou a ter cara de zero a zero, apareceu o melhor jogador da atualidade para transformar o empate em vitória. Com um golaço de Lionel Messi, nos acréscimos, a Argentina superou o Brasil em Doha. Foi a primeira derrota e o primeiro gol sofrido pela seleção brasileira desde que Mano Menezes assumiu o posto de treinador canarinho. Sergio Daniel Batista, efetivado como treinador definitivo após a saída de Diego Armando Maradona, estreou com o pé direito.

Veja como foi a transmissão do Jogada De Efeito, em tempo real, através do "Twitter" @jogadadefeito.

O jogo

Ronaldinho Gaúcho, de volta à seleção, mostrou serviço desde que a bola começou a rolar no estádio Internacional Khalifa. Com 1 minuto, já havia alçado uma bola na área, interceptada pelo goleiro Sergio Romero. Aos 6 minutos, quase conseguiu acionar Neymar na área, mas Romero novamente mostrou estar atento.

Ambas as seleções rodavam bastante a bola, mas as oportunidades pouco apareciam. Até que, comandado por Ronaldinho Gaúcho e contando com o apoio constante dos laterais Daniel Alves e André Santos, o Brasil passou a se sobressair em campo. Aos 18', o lateral barcelonista tabelou com David Luiz e chutou no travessão. 3 minutos depois, Ronaldinho pegou sobra de bola após cobrança de escanteio e quase marcou de calcanhar, parando em defesa de Romero.

Demorou, mas a Argentina conseguiu chegar com perigo por duas vezes na etapa inicial. A primeira delas foi aos 28 minutos, quando Gonzalo Higuaín apareceu livre após escanteio e cabeceou para defesa difícil de Victor, que defenderia mais uma vez no rebote, mas com o impedimento já assinalado. 10 minutos mais tarde, a melhor jogada dos primeiros 45 minutos: Messi iniciou jogada na altura da linha que divide o campo, tabelou, recebeu de volta, arrancou e chutou de fora da área uma bola que beijou a trave direita de Victor. O Brasil teria uma oportunidade derradeira antes do apito de intervalo: aos 44 minutos, Ronaldinho abriu na direita com Daniel Alves, mas o camisa 2 preferiu cruzar em vez de mandar um chute cruzado e acabou entregando a bola para o goleiro Romero.

No intervalo, uma única substituição: saiu Higuaín para a entrada de Ezequiel Lavezzi. E foi o atleta napolitano o personagem que mais daria trabalho aos brasileiros dali em diante, principalmente em jogadas pra cima de André Santos, que, vendo a ameaça que o camisa 11 lhe apresentava, ficou a maior parte do tempo no campo defensivo, diminuindo as opções de ataque brasileiras. O Brasil seguia encontrando suas melhores alternativas a partir de Ronaldinho: aos 6 minutos, o camisa 10 brasileiro levantou na área e Thiago Silva quase conseguiu completar de cabeça o que seria um gol exclusivamente milanês.

Aos 10 minutos, a Argentina conseguiu sufocar o Brasil em lance iniciado por Lavezzi pelo lado direito e, durante bate-rebate, Thiago Silva bloqueou usando o braço direito, que estava aberto. Lance interpretativo, onde considero ter havido penalidade máxima, não apitada pelo árbitro Abdullah Balideh.

O jogo diminuiu de ritmo e Sergio Batista buscou novas opções, colocando o colorado Andrés D'Alessandro no lugar de Javier Pastore, aos 24 minutos. 3 minutos depois, Mano Menezes mexeu pela primeira vez, trocando o participativo Ronaldinho pelo gremista Douglas. Mais quatro minutos se passaram e Mano mexeria no ataque, trocando Neymar por André.

Se dentro de campo nada de muito diferente acontecia, um torcedor resolveu quebrar a monotonia do evento e invadiu o gramado. Será que fazia parte da festa nesse "lobby" visando a Copa-2022? Acho pouco provável.

De volta ao jogo, aos 37 minutos, Ángel Di María cruzou da esquerda e quase Lavezzi conseguiu alcançar de peixinho, mas a bola passou. A seleção brasileira nada criava e Mano Menezes parecia ignorar solenemente que o grupo contava com a presença de Philippe Coutinho no banco de suplentes. Quando resolveu mexer novamente no time, optou por, aos 40 minutos, trocar Ramíres por Jucilei, numa tremenda falta de ousadia.

E o castigo veio aos 46'. Castigo para Mano, prêmio para os amantes do futebol arte. Douglas foi desarmado no círculo central, Messi recebeu, tabelou com Lavezzi e partiu em velocidade, escapando de David Luiz, Thiago Silva e Lucas (tendo inclusive resistido a um tranco por trás dado pelo volante) para chutar cruzado no canto esquerdo e não dar chance de defesa para Victor, que saltou e esticou o braço até onde pôde. 1a0 Argentina, calando-se as cornetas de que Messi "é um jogador no clube e outro na seleção". Talvez até seja, em função das distintas estruturas táticas. Mas ambos são geniais.
Momento do chute certeiro, que passou entre as pernas de Thiago Silva antes de encontrar o quadrante 15 do gol defendido por Victor. Golaço.

Outros resultados

China 1a0 Letônia
Montenegro 2a0 Azerbaijão
Omã 0a4 Bielorrússia
Kuwait 1a1 Iraque
Eslováquia 2a3 Bósnia
Rússia 0a2 Bélgica
Estônia 1a1 Liechtenstein
Bulgária 0a1 Sérvia
Hungria 2a0 Lituânia
Senegal 2a1 Gabão
Egito 3a0 Austrália
Israel 3a2 Islândia
Dinamarca 0a0 Congo
Luxemburgo 0a0 Argélia
Suíça 2a2 Ucrânia
Áustria 1a2 Grécia
Polônia 3a1 Costa do Marfim
Irlanda do Norte 1a1 Marrocos
Irlanda 1a2 Noruega
Eslovênia 1a2 Geórgia

Nos outros quatro amistosos que destacamos no tópico anterior, tivemos:

- Vitória holandesa, em Amsterdã, sobre a Turquia (1a0, gol de Klaas-Jan Huntelaar);
- Triunfo francês sobre a Inglaterra, em pleno estádio de Wembley (2a1, com Karim Benzema e Mathieu Valbuena marcando para os visitantes e Peter Crouch descontando);
- Sapecada portuguesa pra cima da Espanha no estádio da Luz (Hélder Postiga, duas vezes, Carlos Martins e Hugo Almeida marcaram nos 4a0 de Lisboa);
- Na capital Santiago, o Chile venceu o Uruguai por 2a0 (gols de Alexis Sánchez e Arturo Vidal) no jogo de despedida de Marcelo Bielsa, que agradeceu o carinho de um público de 45.000 presentes no estádio.

terça-feira, 16 de novembro de 2010

Amistosos Internacionais De Alto Nível

Nessa quarta-feira, dezenas de amistosos entre seleções agitam o dia no calendário futebolístico. Tomei a liberdade de destacar 5 dessas partidas. Ei-las.

Argentina e Brasil

Em Doha, capital do Reino do Catar, duas gigantes do futebol mundial se reencontrarão após mais de um ano sem se enfrentarem (a última partida entre elas foi em 5 de setembro de 2009, pelas Eliminatórias para o Mundial 2010, vencido pelo Brasil, por 3a1, no território adversário).

Eliminadas nas quartas-de-final (a Argentina foi arrasada pela Alemanha enquanto o Brasil caiu de virada para a Holanda), o duelo sul-americano no Oriente Médio terá um ingrediente para amante do futebol arte nenhum colocar defeito: as presenças de Lionel Messi e Ronaldinho Gaúcho.

Holanda e Turquia

Na Arena de Amsterdã, a Holanda de Bert van Marwijk e a Turquia de Guus Hiddink farão o que promete ser um jogo bastante interessante. Vinda de um vice-campeonato mundial e de uma série invicta enorme - que teve uma pausa naquele gol de Andrés Iniesta no segundo tempo da prorrogação da final da Copa 2010 -, a Holanda encara uma Turquia que está, aos poucos, ganhando a face de seu técnico holandês, convicto implementador da filosofia de jogo ensinada em seu país de origem.

Inglaterra e França

Mais um jogo entre campeões mundiais para apimentar a quarta-feira. Ingleses e franceses não corresponderam às expectativas no último Mundial (o "English Team" caiu nas oitavas para a Alemanha enquanto os "Bleus" foram eliminados como lanternas no grupo A).

Se de lá para cá a Inglaterra não perdeu mais, assim mesmo o técnico Fabio Capello teve de ouvir críticas quanto ao empate sem gol diante de Montenegro. Já pelo lado francês, Laurent Blanc vem trabalhando na tentativa de renovar o elenco que brilhou em 2006 e fracassou em 2010 com o mesmo Raymond Domenech, e que parece ainda sentir falta da genialidade de Zinedine Zidane.

Portugal e Espanha

Em 29 de junho, essas seleções fizeram um duelo ibérico pelas oitavas-de-final do Mundial 2010. Melhor para a Espanha, que avançou com o gol de David Villa e depois se sagraria campeã. A Espanha convocada por Vicente Del Bosque é semelhante àquela, com o único campeão mundial ausente sendo Jesús Navas, contundido. No pós-Copa, a seleção portuguesa conseguiu a proeza de, dentro de casa, empatar com o Chipre numa partida de oito gols.

A qualidade dessa partida depende basicamente da postura lusitana: se tiverem o mesmo estilo visto na Copa, teremos um jogo concentrado no campo de ataque espanhol; se resolverem sair para o jogo e jogar futebol, poderemos ter um duelo bacana entre os países vizinhos.

Chile e Uruguai

O estádio Monumental David Arellano sediará a despedida do técnico Marcelo Bielsa do comando da seleção chilena (o argentino se recusa a trabalhar com o novo presidente da Federação Chilena de Futebol, o empresário Jorge Segovia, a quem já criticara duramente). Pior para a seleção do Chile, que não apenas fez uma boa Copa como exibiu um belo futebol no Mundial. Pelo lado uruguaio, o prestigiado Oscar Tabárez dá seqüência a um trabalho que devolveu a autoestima ao futebol do país com o honroso 4º lugar na África do Sul.

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Equipe E Jogada Da Semana

Após três semanas na Inglaterra, vamos agora para a Alemanha a fim de falarmos um pouco sobre o líder da Bundesliga, que vem de três vitórias consecutivas na competição. A primeira delas foi no duelo de líderes (2a0 sobre o Mainz, fora de casa). A segunda, no domingo (07), foi novamente fora de casa: uma goleada por 4a0 sobre o Hannover. A terceira aconteceu sexta-feira (12) e se deu em Dortmund: 2a0 pra cima do Hamburgo.

Em 12 rodadas, o Borussia conseguiu 10 vitórias, 1 empate e 1 derrota, abrindo uma diferença de 7 pontos para as equipes que aparecem imediatamente atrás na tabela de classificação (o Bayer Leverkusen e o Mainz).

A equipe comandada por Jürgen Klopp conta com uma predominância de jogadores jovens mesclada com atletas veteranos. No gol, Weidenfeller, de 30 anos, é o titular (os reservas são Langerak, australiano de 22 anos, e Focher, prata da casa, de 20 anos). Na defesa, jovens como Schmelzer (22) e Hummels (21) se juntam ao experiente brasileiro Dedé, que aos 32 anos e 16 temporadas no clube, está atualmente na condição de reserva. No meio-campo, os atletas que mais atuaram foram dois jogadores de 22 anos: o turco Sahin (12 jogos e 3 gols marcados) e Grosskreutz (idênticas estatísticas). Isso sem esquecer do experiente Sebastian Kehl, de 30 anos, suplente. No ataque, os goleadores da equipe são Lucas Barrios (7 gols marcados pelo paraguaio de 26 anos), Shinji Kagawa (japonês de 21 anos que marcou 6 gols) e Robert Lewandowski (nascido na Polônia há 22 anos e que marcou 3 gols).

Estamos diante de um forte candidato a desbancar o Bayern de Munique, atual detentor da dobradinha Bundesliga-Copa Alemã, hoje 12 pontos atrás do líder. O Bayern, inclusive, já sentiu a força do adversário no dia 3 de outubro, quando foram derrotados por 2a0, em Dortmund.

Jogada da semana

Campeonato Brasileiro, 35ª rodada, domingo, São Januário. Por lá, jogavam Vasco da Gama e São Paulo. Ambas as equipes deverão, ao término da competição, ter de se contentar com uma colocação que as levem para a próxima Copa Sul-Americana (algo mais traumático para o clube paulista, acostumado a disputar a Copa Libertadores). Essa partida acabou empatada por 1a1. Sem mais delongas, eis que tivemos dois golaços. Pra quem curte um chute forte de fora da área, tome Éder Luis. Pra quem curte uma finalização ousada, tome Lucas Rodrigues.

Eu fico com o chutaço do vascaíno. E você?

domingo, 14 de novembro de 2010

Flu Empata Com Goiás Graças A Gol De Pênalti

Mesmo jogando no Rio de Janeiro e contando com o apoio de cerca de 36.000 torcedores tricolores presentes no Engenhão, o Fluminense não foi capaz de vencer o Goiás e reassumir a liderança na Série A. E poderia ter sido pior: não fosse uma penalidade máxima marcada por Carlos Eugênio Simon aos 37 minutos do segundo tempo, muito provavelmente o Goiás teria conseguido carregar a vitória até o apito final.

O jogo

Num primeiro tempo de bastante correria e disposição, ouvia-se mais o apito do árbitro gaúcho Carlos Eugênio Simon marcando infrações para ambos os lados do que propriamente eram criadas chances de gol. Numa jogada de lucidez, o placar foi inaugurado: aos 19 minutos, Jones cruzou a partir do lado esquerdo e Rafael Moura cabeceou para superar Ricardo Berna e marcar 1a0 para os visitantes.

O Fluminense passou a dominar as ações e concentrar a posse de bola consigo. Mas nem as presenças de Deco e Fred - que retornavam de contusões - foram capazes de auxiliar Darío Conca na armação de jogadas e o Fluminense simplesmente não apresentava poder de penetração no sistema defensivo do Esmeraldino.

Para a segunda etapa, Muricy Ramalho decidiu promover duas mexidas: saíram Deco e Tartá para as entradas de Diguinho e Washington. Com isso, o Tricolor passava a contar com três volantes e dois atacantes de área. A proposta do treinador ficou clara: liberar Mariano e Carlinhos para que a bola fosse jogada dentro da área goiana, buscando os camisas 9 (Fred) e 99 (Washington). Acontece que a insistência nessa mesma jogada não surtia o efeito desejado, sobretudo levando-se em conta a grande participação de Marcão, que parecia ser o dono da área defendida por sua equipe.

Se na etapa inicial o Goiás incomodava com contra-ataques em velocidade, no 2º tempo a equipe pareceu abrir mão desse recurso, candenciando o jogo e tentando ter a bola nos pés. Acontece que o Fluminense, empurrado pela torcida, seguia com o controle do jogo. Entre um levantamento na área e outro, de vez em quando o time da casa tentava alguma coisa pelo chão. E, numa delas, caiu do céu um pênalti: Rodriguinho chegou antes de Ernando numa sobra de bola, aproveitou-se do toque do zagueiro adversário e desabou na área. Na marca de 38 minutos, Conca partiu pra bola, chutou forte e estufou o quadrante 12 de Harlei, que acertou o canto e quase conseguiu bloquear.

A receita do Fluminense de Muricy para tentar a virada era a mesma que fracassava rotineiramente na busca pelo gol de empate. Já Artur Neto decidiu retomar no Goiás a proposta de dar velocidade aos contra-ataques. No melhor deles, Rafael Moura deu passe para Felipe (que entrara na etapa complementar no lugar de Jones), o atacante recebeu em liberdade mas acabou finalizando sobre o travessão a chance de recolocar o Goiás na frente, aos 46 minutos. Ainda houve tempo para uma nova investida tricolor. Como foi? Daquele jeitinho: Carlinhos levantou na área, Fred tentou o cabeceio, mas a bola saiu em tiro-de-meta. Se déssemos a esse tipo de jogada o nome de um filme e trocássemos os atores por Mariano e Washington, estaríamos falando de uma saga com dezenas de capítulos. E o mesmo final...

Outros resultados

Quarta-feira
Ceará 2a2 Botafogo

Ontem
Corinthians 1a0 Cruzeiro
Santos 0a0 Grêmio
Atlético/MG 4a1 Flamengo

Hoje
Guarani 1a1 Vitória
Internacional 2a3 Avaí
Atlético/GO 3a0 Palmeiras

Há duas partidas em andamento e que completam a 35ª rodada: em São Januário jogam Vasco e São Paulo, enquanto na Arena da Baixada atuam Atlético/PR e Grêmio Prudente.

Mais detalhes sobre a partida entre Fluminense e Goiás podem ser vistos através do "Twitter" (@jogadadefeito), onde narramos e comentamos em tempo real os acontecimentos desse empate por 1a1.

Coxa Com A Mão Na Taça

Num jogo recheado de cartões amarelos (foram dez no total), o Coritiba fez a alegria da imensa maioria do público presente no estádio Couto Pereira, venceu o Figueirense por 2a1 e praticamente assegurou o título da Série B 2010: o caneco só não irá para a capital paranaense caso o Alvi-verde perca os dois últimos jogos e o Bahia, novo vice-líder, triunfe em ambos os compromissos. Nessa antepenúltima rodada, aliás, conhecemos mais dois clubes que disputarão a Série A 2011 (além do Coxa, que se garantiu na rodada passada): o Bahia e o próprio Figueirense, que não podem mais ser alcançados pelo atual 5º colocado. Parabéns aos três clubes e aos milhões de adeptos que essas instituições, somadas, totalizam.

O jogo

Se nas arquibancadas a festa dos torcedores alvi-verdes já estava dando o tom antes mesmo de a bola rolar, dentro das quatro linhas a partida também começou agitada, com ambos os times mostrando velocidade e determinação em ir ao ataque. E quem chegou pela primeira vez para uma finalização foi o Figueirense: aos 4 minutos, Reinaldo ajeitou com a sola da chuteira recuando para Maicon, que chutou do jeito que veio, a bola desviou na defesa coritibana e saiu pela linha-de-fundo - estava ali o primeiro erro de arbitragem, sendo marcado tiro-de-meta para o time da casa.

Aos 8 minutos, nova chegada da equipe catarinense: Willian passou com categoria, encobrindo a defesa e encontrando Fernandes, que chutou cruzado, à meia-altura, mandando perto da trave direita de Edson Bastos. No minuto seguinte, em lance de bola parada, o Coritiba chegou. E foi pra valer: Jeci subiu, cabeceou e mandou no ângulo esquerdo para abrir o marcador e intensificar a alegria que tomava conta no Alto da Glória.

E dava para ficar melhor: aos 16 minutos, Rafinha recebeu na meia-lua, ajeitou com o pé direito e chutou com o esquerdo. Onde? No ângulo - dessa vez o direito -, mantendo o goleiro Wilson novamente estático. 2a0 Coritiba, e tome festa. Por falar em Rafinha, olho nesse jogador: com passe pertencendo ao São Paulo, o atleta se queixou de ser pouco aproveitado no Morumbi (inclusive acionando a Justiça para tentar romper com o clube), mas diz-se que Paulo César Carpeggiani quer contar com o jogador na próxima temporada.

Com 23 minutos quase saiu o 3º gol, mas o cabeceio de Cleiton, que surgiu livre em novo lance de bola parada, saiu por cima do travessão.

Aos 36 minutos, Bruno desceu pelo lado direito e, após invadir a área, foi empurrado por Enrico. Pênalti e cartão amarelo para o coritibano. Na cobrança, Edson Bastos saltou ao canto direito e defendeu parcialmente o chute de Reinaldo, mas o atacante conseguiu pegar o rebote e conferir, diminuindo a desvantagem do Figueirense.

Ney Franco nem quis esperar o intervalo para mudar as coisas em sua equipe e optou por tirar o pendurado Enrico - que apoiava bem mas não tinha sucesso na marcação - para colocar o volante William, jogador com características muito mais defensivas do que o qualquer outra coisa.

Veio a segunda etapa e com ela uma desaceleração na intensidade da partida. Porém, ainda teríamos quatro lances interessantes. Em três deles, destaque para o goleiro Wilson: o capitão do Figueirense trabalhou bem demais ao defender finalizações de Rafinha (duas vezes indo buscar com a ponta da luva) e uma ainda mais incrível de Leonardo, quando bloqueou com o joelho um remate frontal. Se o Coxa parava no goleiro adversário, quem atrapalhava os planos dos comandados de Márcio Goiano era o juíz do jogo, que ignorou penalidade máxima de Jeci em Reinaldo, quando o zagueiro puxou o atacante pela camisa, impedindo-o de progredir até a bola.

O Figueirense, mesmo derrotado no placar, comemorou o fato de, com a vitória do Bahia sobre a Portuguesa, também ter garantido o acesso por antecipação. Ao Coritiba, coube dar seqüência à festa que já estava acontecendo.

Outros resultados

Sexta-feira
São Caetano (10º) 0a0 América/MG (4º)
Bragantino (11º) 5a1 Vila Nova (15º)
Sport (6º) 1a1 Santo André (20º)
Ipatinga (17º) 2a0 Duque de Caxias (9º)

Sábado
Ponte Preta (13º) 0a1 Icasa (12º)
Brasiliense (18º) 0a1 Náutico (14º)
Bahia (2º) 3a0 Portuguesa (5º)
América/RN (19º) 5a2 Guaratinguetá (16º)
ASA (8º) 0a1 Paraná (7º)

Se na 35ª rodada acertei 7 palpites, nessa 36ª foram apenas 4.